• Facebook
  • Google plus
  • Twitter
  • LinkedIn

As 30 melhores Cervejas Artesanais à venda no Brasil

Qual é a melhor cerveja do mundo? E do Brasil? Esse tipo de pergunta não tem uma resposta certa, nem é possível tentar chegar a esse resultado de maneira fácil. Não é incomum vermos listas apontando os rótulos de melhor qualidade no mercado. Recentemente, em fevereiro, a Forbes em parceria com a revista Prazeres da Mesa juntou um time de especialistas para chegar à conclusão de quais são as 30 melhores cervejas disponíveis no mercado brasileiro. Neste texto vamos nos aprofundar nas seis primeiras, além de listar todas as 30 contempladas pela listagem. Venham conosco!

1º Duchesse de Bourgogne

A Duchesse da cervejaria Verhaeghe é uma legítima representante das cervejas produzidas na região da Flandres, na Bélgica. Essa Red Ale com 6,2% de volume alcoólico é uma cerveja que passa por envelhecimento em barris de carvalho, sua mistura final se dá entre líquidos amadurecidos entre oito e 18 meses. É uma cerveja extremamente leve. O rótulo vem em homenagem a Duquesa de Borgonha, Mary que muito jovem, aos 20 anos herdou o ducado, cinco anos mais tarde faleceria em um acidente de cavalo. O aroma lembra frutas vermelhas, remetendo também ao vinho. No paladar um considerável equilíbrio entre o doce e o amargo.

2º Morada Hop Arabica

Integrante da nossa seleção de cervejas do mês de junho de 2014 a Hop Arabica é uma Blond Ale de 5% de teor alcoólico. A cerveja é uma parceria entre a Lucas Caffes Especiais e cervejaria Morada Cia. Etílica. O nome já explica é o lúpulo (hop) misturado ao café estilo arabica. Essa interessante junção resultou em uma cerveja surpreendentemente leve e refrescante, que conta com um café especial produzido na Serra da Mantiqueira em Minas Gerais. É possível perceber na composição a presença de notas cítricas e florais de maneira leve. A acidez é marcante. Também observa-se o gosto de rapadura no líquido, finalizando assim este grande blend.

3º Colorado Ithaca

Premiada no Brasil, na América do Sul e na Europa a Ithaca é uma fórmula vencedora. Essa Imperial Stout tem seu originado de uma ilha grega, palco de grandes batalhas da história mundial. A ideia do rótulo é dar um toque bem brasileiro a uma receita normalmente europeizada, por isso entra em jogo a rapadura queimada, típica do Nordeste do nosso país. O slogan da cerveja já alerta: malte e rapadura ao quadrado é igual a prazer ao cubo. Destaca-se por sua longevidade e evolução dos sabores com o tempo. O resultado é uma potente cerveja de 10,5% de álcool em sua composição. Pende um pouco mais para o dulçor do que para o amargor e seu aroma é intenso.

4º North Coast Old Rasputin

Essa Russian Imperial Stout produzida pelos norte-americanos da North Coast tem 9% de teor alcoólico. Produzida com as tradições vindas do século XVIII na Inglaterra, tal qual as cervejas que serviram a corte da Catarina, a Grande, na antiga Rússia dos Czares. Esta cerveja extremamente rica criou uma legião de seguidores por onde passa, visto ao complexo sabor do líquido e seu final que remete ao calor. Caracteriza-se por um colarinho colorido e frutado. Cheia de aromas de chocolate e café, é possível notar as leveduras em sua composição. Um pouco de defumado também é percebido. Muito bem balanceada por seus lúpulos, também apresenta doçura.

5º Morada Double Vienna

Mais uma representante da Morada Cia. Etílica nessa lista é uma Vienna Lager de 7,6% de volume alcoólico. Já chama atenção pelo rótulo com um amarelo forte e letras estilizadas em preto, dando ares de tempos anteriores. Na sua receita não apresenta grandes mistérios. Apenas a combinação perfeita dos ingredientes essenciais para uma cerveja. Sua coloração âmbar tem aparência translúcida. Apresenta uma excelente e persistente formação de espuma, igualmente densa. O aroma apresenta malte tostado e caramelo. Além de um leve frutado e notas cítricas e herbais.

6º Tripel Karmeliet

Essa cerveja belga foi destaque na nossa seleção de cervejas do mês de novembro de 2014. A Tripel da cervejaria Bosteels é caracterizada pela forte presença de suas notas florais e cítricas, bem ressaltadas nos seus 8% de presença de álcool. A receita da Karmeliet vem do longínquo ano de 1679, do mosteiro carmelita Indendermonde. Três tipos de grãos são utilizados na mistura. A refermentação do líquido é feita dentro da garrafa. O nome da cerveja é uma alusão às suas origens e também a sua forma de preparo. A coloração está entre o dourado e o bronze. Tema o colarinho extremamente cremoso. As leveduras têm uma natureza frutada. Aroma refinado com toques de baunilha e cítricos. No gosto o efeito refrescante do trigo, a cremosidade da aveia e a presença picante do limão.

Entre as restantes cervejas temos outras três que já fizeram parte de nossa seleção de cervejas especiais: Bierland Vienna (fevereiro/2013), Jupiter American Pale Ale (janeiro/2014) e Burgman Casanova (novembro/2014).

13º Bierland Vienna

Cerveja de baixa fermentação, é inspirada no estilo clássico Vienna Lager. Quem prouz é o cervejeiro Anton Dreher.

Com coloração avermelhada, possui uma espuma persistente. O amora é maltado e levemente adocicado, com um toque floral e cítrico de lúpulo, proveniente do dry hopping.

19º Jupiter American Pale Ale

Cerveja de coloração dourada, a APA possui corpo leve, sendo seca e muito refrescante. Seus sabores são cítricos, de lúpulo, com um leve caramelo e malte.

Foi a primeira produzida pela Júpiter, com uma receita compacta e extremamente deliciosa.

O líquido foi criado com estilos assertivos. A Júpiter APA é produzida por Victor Marinho (presidente Acerva Paulista).

28º Burgman Casanova

Cerveja premium, possui aroma que entrega seu malte e sua presença! Em função disto, a torna dourada e sensivelmente doce. Com a utilização de mais lúpulo, tem seu amargor elevado.

A cerveja lager tem nos lúpulos toda a sua essência, sendo produzida com variedades alemãs e novidades do mundo atual.

 

Demais cervejas listadas em ordem: 7º) Tupiniquim Omnipollo Polimango; 8º) Chimay Bleue; 9º) Bodebrown Cacau IPA; 10º) Ballast Point Sculpin IPA; 11º) Brewdog Punk IPA; 12º) Schornstein IPA; 13º) Bierland Vienna; 14º) Eisenbahn 5; 15º) Orval; 16º) Cafuza; 17º) Wals Dubbel; 18º) Seasons Green Cow IPA; 19º) Jupiter American Pale Ale; 20º) Eisenbahn Lust; 21º) Dum Petroleum; 22º) Mula IPA; 23º) Wals Session Citra; 24º) BodeBrown Perigosa; 25º) Duvel; 26º) Bamberg Franconian Rhapsody; 27º) Delirium Tremens; 28º) Burgman Casanova; 29º) Landel Session IPA e 30º) Tally-Ho.