• Facebook
  • Google plus
  • Twitter
  • LinkedIn

Cervejas artesanais em alta

A paixão do povo brasileiro pela cerveja não é uma novidade. O hábito de consumo do líquido faz parte da cultura do país, aliada a um povo ao mesmo tempo festivo e ordeiro, que prima pela criatividade e também pela irreverência.

Brasileiro mais exigente 

Porém, a cerveja também é negócio. E é no mercado corporativo da cerveja que o Brasil vem dando um salto positivo quando falamos das cervejas artesanais.

Este crescimento tem aumentado nos últimos dez anos e pode ser qualificado como crescimento em progressão geométrica e, ainda, com espaço para maiores avanços nos próximos períodos. Atualmente, algumas das micro cervejarias brasileiras movimentam somas superiores aos 10 milhões de reais*.

Todo esse movimento é fruto de uma mudança de hábito no consumo de cerveja no Brasil, que não vive apenas ligado às grandes marcas que proporcionam cervejas do mesmo estilo. Agora, o brasileiro busca por novos sabores e por um maior requinte na bebida que tanto lhe agrada.

Crescimento em número

Atualmente o mercado das cervejas artesanais nacionais corresponde a 0,15% do total consumido no país anualmente. Porém, este mercado cresce à base de 200% ao ano. Com isso, a projeção dos especialistas é que as artesanais sejam 2% do total do consumo do brasileiro ainda nessa década*.

Esse fenômeno, visto no Brasil, repete aquilo que se viu nos Estados Unidos no começo da década de 90. Lá, também as Pilsen ou American Lager dominavam. Depois, cederam espaço à gama de possibilidades produzidas pelas cervejas artesanais e sua superioridade em relação às bebidas comuns do varejo de larga escala.

Hoje, nos Estados Unidos, as cervejas artesanais compreendem mais de 6% do volume de cervejas consumidas*. Além disso, representam um faturamento superior aos 10% no mercado cervejeiro norte-americano*. No Brasil, estima-se que tenhamos mais de duzentas micro cervejarias espalhadas pelo território nacional.

*Fonte dos dados: Revista IstoÉ