• Facebook
  • Google plus
  • Twitter
  • LinkedIn

O crescimento dos ‘Food Trucks’ demanda a criação do Beer Truck

A gourmetização, palavra da moda, da cerveja iniciou faz mais tempo no Brasil, como já falamos em posts anteriores. Após esse fenômeno, a busca por novos ingredientes e sabores da cerveja a elevaram para altos patamares.

O que até então parecia sem saída – não termos opções de cervejas – mudou em velocidade espantosa e teve grande aceitação pelo público carente de novidades. Agora, essa tendência toma as ruas com a oferta de comidas rápidas e com misturas diferentes.

Existia uma lacuna na comida de rua no Brasil. Em geral, as comidas de rua disponíveis se resumiam a pequenas carrocinhas de churrasquinhos e cachorros-quentes. O apelo e identificação era voltado ao público-consumidor popular.

Enquanto isso, no exterior, principalmente nos Estados Unidos e na Europa, os food trucks já consolidavam uma mentalidade diferente há mais tempo.

A ideia de oferecer produtos gastronômicos que surpreendam os clientes é a tônica do negócio. E, com uma dinâmica distinta, esses restaurantes itinerantes proporcionam novas experiências aos apreciadores da boa culinária.

Os cardápios variam muito, tem alternativas para todos os gostos. É possível encontrar de sushi até comida mexicana. E, nesse espectro, se encontram as mais surpreendentes combinações: como por exemplo um generoso hambúrguer de carne bovina com ketchup de banana. Ou, ainda, o elegante poutine de carne de panela desfiada com molho funghi e aipim (mandioca).

Truck Food combina com Truck Beer

Ao passear pelos festivais de food trucks era difícil de encontrar opções de bebidas que acompanhem bem as comidas disponibilizadas. A cerveja comum (comercial) acompanha muito bem com batatinha frita servida nos bares. Já a Cerveja Especial (artesanal) clama por uma harmonização mais elaborada, que esteja à altura de seu sabor. Esse casamento está ocorrendo em cada vez mais cidades onde os food trucks estão presentes.

Os trucks beer já estão começando a aparecer com mais frequência nos eventos para atender ao público que gosta de boa comida e de excelente bebida. Algumas marcas de Cervejas Especiais começam a investir nesse segmento, não somente para trabalhar a presença da marca, mas para comercializar grandes quantidades das suas cervejas nesses pontos ambulantes.

O maior festival de food truck do Brasil ocorreu na cidade de Joinville e contou com a organização e realização da Porto Cerveja e da Hames bier. No evento foi possível apreciar chopes artesanais vindos de Araquari (Dom Haus), Pomerode (Schornstein) e de Joinville (Volksbier e Opa Bier). Em Porto Alegre a cervejaria Saint Beer é figura carimbada nos eventos.

Podemos concluir que a Cerveja Especial preparou esse momento e, presentemente, está sendo retribuída pelos food trucks. Não fosse a Cerveja Artesanal ter desenvolvido o público para a cultura de experimentar o diferente e de se permitir ser feliz longe da mesmice, os food trucks ainda estariam buscando seu lugar!

Pontos Positivos e Negativos

Os pontos positivos para um passeio em um festival de food trucks são inúmeros: a diversidade de comidas, misturas e temperos, comer ao ar livre, sair da rotina, encontrar amigos, curtir um som (geralmente os festivais tem DJ’s), conhecer gente…

Os pontos negativos ficam por conta do custo, algo em torno de R$ 20,00 por lanche – algo que ainda é elevado (no entanto, a qualidade compensa). Por ser de caráter gourmet, a porção pode não o satisfazer completamente e, também, pela dependência de um bom tempo para a existência e consolidação da ocorrência.

Só nos resta aproveitar mais essa oportunidade de estarmos juntos da Cerveja Especial e degustar as nossas cervejas com acompanhamentos de alto nível. Viva o Food Truck! Viva o Truck Beer!

Beba menos. Beba melhor!

Se beber não dirija, pegue uma cerveja e vá bebendo no táxi!