• Facebook
  • Google plus
  • Twitter
  • LinkedIn

As Músicas Cervejeiras – Parte II

Conforme prometido, vamos à segunda seção do texto que aborda as músicas que consagram a cerveja em suas letras! Na primeira parte, ficamos na realidade nacional e lembramos de canções como “Saideira”, do Skank e “Estamos Todos Bêbados” do inconfundível Matanza. Agora é a vez de ver o que os artistas internacionais já disseram em suas canções sobre o nosso líquido favorito.

O Black Flag lançou a música Six Pack no EP de mesmo nome, em 1981. A música, assim como TV Party, outra canção da banda que aborda o tema cerveja, alia o hardcore direto e reto da banda com a paixão pela cerveja. A música diz: “Trinta e cinco dólares e uma caixa com seis cervejas (six pack) pra mim. Six Pack! Gastei o resto com cerveja então de quem é a culpa. Six Pack! Eles dizem que estou ferrado toda hora. Six Pack! O que eles fazem é uma perda de tempo. Six Pack!”, clássico de quem é julgado por apreciar uma boa cerveja enquanto as pessoas consideradas certinhas vivem no eterno tédio.

Sem dúvida, um dos estilos de música mais divertidos por sua batida e malemolência é o Ska. Um dos bons representantes dessa vertente é o Reel Big Fish, que resolveu lançar uma música falando sobre o efeito da cerveja e o apreço que eles têm pelo líquido. A música “Beer” tornou-se uma das mais famosas da banda e a mais pedida em shows, confira um trecho: “Se eu ficar bêbado, vou passar mal no chão, baby! Você não vai mais me encher o saco. Se você está bebendo, você sabe que é meu amigo. E eu digo. Acho que vou tomar uma cerveja”, impressionante como os temas cerveja e amizade vivem interligados, embalados pela irmandade que geralmente ocorre em bandas. É um tema favorito dos fãs.

“Sunday Mornin’ Comin’ Down” é um hino àquele domingo meio preguiçoso, depois de ter dado aquela exagerada na cerveja no dia anterior. Sabe a rotina de TV, pizza e cerveja? Bem, esse é o climão da música. A composição é de Kris Kristofferson, mas foi o inigualável Johnny Cash que deu notoriedade à música ao gravá-la no seu disco ao vivo, de 1970, “The Johnny Cash Show”. A canção entoa: “Eu acordei domingo de manhã, sem um jeito com que minha cabeça não doesse. E a cerveja que eu tomei no café da manhã não estava ruim, então tomei mais uma de sobremesa”, quem nunca tentou curar uma ressaca tomando um pouco mais de cerveja? Mas, sem nunca esquecer que bom mesmo é beber menos e beber melhor!

Uma lendária banda de punk, formada nos anos 70 e que tem seus integrantes se vestindo como os drúguis do filme Laranja Mecânica, não poderia deixar de ter uma música que apresente a cerveja em sua temática. Este é o caso da banda Adicts, que ficou famosa pelo hino da cena underground Viva La Revolution. Sobre cervejas, eles resolveram ser bem claros com a canção “Who Spilt My Beer?” A pergunta é bem simples: quem derrubou a minha cerveja? E o pedido sincero é “me conte a verdade, quem derrubou a minha cerveja?”, pobre de quem derruba a cerveja de um verdadeiro punk, com certeza, é motivo para começar uma bela confusão. Fica a dica: não derrube a cerveja de um rocker, ela é sagrada!

O clima noturno e sombrio conduz a canção “Warm Beer and Cold Women”, do mestre Tom Waits. A música foi lançada em 1975, no álbum ao vivo Nighthawks at the Diner e conta sobre uma desilusão amorosa de Waits e como ele fez para buscar a recuperação do amor perdido. Confira: “Cerveja quente e mulheres geladas, não, eu não me encaixo. Em cada boteco que eu fui essa noite é assim que as coisas estavam. Todos esses estranhos com roupas de crochê, gin e vermute. E histórias recicladas nas cabines de Naugahyde Com as louras platinadas, morenas fumantes, eu estarei bebendo para te esquecer, vou acender outro cigarro. E a banda está tocando algo de Tammy Wynette. E os drinques são por minha conta hoje à noite”, ninguém merece uma recepção fria de uma mulher e só uma verdadeira companheira, como é a cerveja, para amainar a decepção!

Um dos maiores ícones do rock n’ roll, The Doors, não poderia deixar de citar a cerveja em uma de suas canções. A faixa de abertura do álbum Morrison Hotel é embalada por muito rock e blues, se chamando “Roadhouse Blues”. Lançada em 1970, é figurinha carimbada do set list de covers das bandas dos dois gêneros. A parte mais famosa da música é o seu refrão com o singelo “let it roll baby, roll!”, mas é mais uma música a indicar que a cerveja é o ingrediente correto para o café da manhã dos campeões “Eu acordei essa manhã e tomei uma cerveja. O futuro é incerto, e o fim está sempre próximo”, desilusão e solidão sempre fizeram parte da rotina das músicas do The Doors, mas o importante foi a cerveja tomada no início da manhã para inspirar os grandes rockeiros.

A cerveja, como podemos ver nas músicas desse texto, é uma inesgotável fonte de inspiração para artistas, seja de qual ramo de atuação eles sejam. Partilhar paixões é um dos grandes trunfos da música e a cerveja não poderia ficar de fora.

Saiba tudo sobre o mundo cervejeiro acompanhando o blog da Beer & Bier!